Total de visualizações de página

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Obrigada Senhor!


Da minha janela


Seguindo a vida


Eu vou sumir da sua vida


Amor silente


Tristes horas vazias


A viagem


Com lágrimas nos olhos

Sou


Vida vazia


Perdida na multidão


Melancolia


Sejas feliz


Amanheci triste

Amanheci triste. A noite me trouxe uma questão que está indefinida em minha cabeça. Saber o que você significa para alguém, ou até onde vale a pena continuar com algo, que nos deixa sempre, a impressão de descartável. Algo que parece, estarmos todo tempo impondo-nos uma presença.
Tenho sentido que já não existe mais vontade de estar comigo. Ou, quando isso acontece, (agora raro), sempre aparecem os compromissos, exatamente nesses dias e nessas horas. Completamente perceptível às inúmeras e sucessivas desculpas.
Preciso parar com isso! Preciso olhar pra mim e perceber quanto por dentro, estou arrasada. Quanto tenho me machucado. Mas eu coloco o meu amor acima de qualquer coisa. Vivo tentando justificar muitas coisas. Coisas bobas, mas que me desenham um quadro de indiferença e distanciamento. Não há interesses por nada meu, estou sempre preterida. Qualquer coisa, qualquer pessoa é sempre, mais importante.


As pessoas costumam acusar os companheiros, de mudarem ao longo da relação, mas esquecem de avaliar e se questionar o porquê. Esquecem que o amor é como uma plantinha; precisa ser regado, cuidado.
Estou me sentindo cansada de lutar, por algo que cada vez, se distancia mais de mim e que sinto jamais vou poder alcançar. Já tive momentos de ter vontade de dizer: olha pra mim, amor! Veja tudo que sinto e como me sinto.
Mas eu preciso entender, que esse é, e sempre foi um sonho apenas meu. Que não posso querer que ele seja compartilhado com ninguém.

Descaminhos


Ando pelo vazio da minha alma. Corredores escuros, estreitos. Sinto um frio enorme. A sensação talvez, seja de um mundo distante, profundo, totalmente desabitado.
Vou ao encontro de um coração; doente, fragilizado, tentando encarar a véspera de uma suposta viagem, ou, quem sabe, encontrar um caminho.
Preciso saber quem sou, porque no meu peito, a alegria foi embora. Nele, só existe um ser tristonho, ansioso, que não mais conheço; isolado.
Nunca tive tanto medo de ser eu mesma. Nunca tive tanto medo de encarar a verdade. Talvez seja minha última esquina; medo de amar, medo de voltar a sonhar, medo desse descaminho.
Na minha alma plantei um sonho. Hoje colho os frutos dos dissabores.
Na minha vida cultivei carinhos, onde pensei existir amores.

Dei um tempo


  1. Dei um tempo,
    a espera de um momento,
    que talvez jamais aconteça.
    Triste de mim,
    que vejo matar um sonho,
    que pensei não ter fim.

    Talvez, você ainda sinta falta;
    dos cartões que não abriu,
    dos e-mails que nem viu,
    do tempo que dediquei,
    dos carinhos que lhe dei.

    Dos beijos que roubei,
    dos sonhos que despertei,
    das loucuras que realizei.
    dos posts que nem leu,
    desse amor que é tão seu.

    Vou, sendo levada pela vida.
    O que antes tinha cor,
    perdeu o encanto.
    Esperei uma primavera
    que nunca chegou...

    Agora recolho meus sonhos,
    meus desencantos.
    Preciso ir ao meu encontro,
    juntar meus pedacinhos,
    chegar ao meu próprio ninho,
    antes de encontrar a morte.

    Talvez um dia, por aqui eu volte.
    E tão tarde, vá entender como sou,
    desejar os presentes que recusou
    e até descobrir que me amou.

    Nunca desejei tanto, essa morte!
    Não consigo mais ser forte.
    Nessas lagrimas que escorrem,
    já nem vejo esperança.

    Saudade do tempo de criança,
    daquela vida feliz!
    Pois hoje o mundo me diz,
    que sentimento é coisa ruim.
    Amar é loucura;
    viver, é só amargura...

    não quero essa ternura,
    essa triste doçura,
    não quero mais ser assim.
    Já não quero esse sonho pra mim.

Lú por um triz


Lú menininha
Lú a fadinha
Lú adolescente,
nem tão inocente.
Lú que casou,
Lu que separou,
Lú que viveu
muita gente conheceu.
Lú que engravidou
que se decepcionou.
Lú tristinha
que pariu sozinha,
Lú que lutou
a vida recuperou.
Lú que amou,
Lú que chorou,
que entristeceu
Lú que sofreu.
Lú recasou,
a vida renunciou.
Lú mais vezes pariu
e só assim sorriu.
Lu magoada,
sofrida, espancada.
Lú por um sonho
num mundo tristonho.
Lú num reencontro,
esqueceu seu pranto.
Lú que renasceu,
o amor reacendeu,
Lú reviveu,
o passado esqueceu.
Lú voltou a brilhar,
voltou a cantar.
Lú que era feliz,
agora, Lú por um triz.
Lú tristinha
sempre sozinha,
num canto largada.
Lú mal amada,
Lú, tão perdida
do mundo, quer a partida.

Ser, sem ser nada


Eu não sou nada, sou ninguém.
Sou barco sem rumo, sem vela, no tempo
no espaço do além.
Sou filha do vento, sou ventania,
que parte do nada, não chego, nem saio
sou uma porcaria.

Sou um vaso quebrado, sou caco.
Sou toda fracasso, sou nojo, sou asco.
Um buraco vazio, permeio.
Sou tudo de mau, nem me aguento
que chata, vazia, babaca, nem penso,
sou um tormento.

Sou poeira, sou pó.
Fragmento de vida, sem aura, perdida,
confusa e aflita, estou só.
Sou molambo, sou trapo, nada sou,
nada faço e no mundo que passo,
perdida estou.

Por que amor?

Por que tem que ser assim?
Por que sempre te encontro na hora errada?
Por que preciso sempre andar na sombra,
se no fim, acabamos na mesma estrada?

Às vezes tento entender os desígnios de Deus;
por que tanto amor, se ele já nasceu perdido?
Por que te coloca, novamente, em minha vida,
se esse amor, como antes, tem que ser escondido?

Tento vencer o tempo, lhe tirar do pensamento,
mas tudo que faço, tudo que tento, é em vão.
Quanto me sinto inerte, se no fundo da minha alma,
em todo sentimento, só te encontro em meu coração.

É complicado

Depois daquele escrito que colocou no blog, já não acredito, que não exista nada por lá. E o tempo passa, vou perdendo o caminho, as oportunidades, o brilho dos olhos, a vontade de prosseguir. Depois que descobri a mentira, para me enganar, dizendo ser para mim, alguma coisa em mim, morreu. Talvez a confiança, ou a esperança, ou quem sabe, os dois...
Queria imensamente saber o que leva um homem, que tem uma família, uma mulher bonita, que canta tanto a felicidade, o melhor casamento, o melhor marido... enfim é a segurança em pessoa, de tanto que sua vida vai bem, do tanto que dá sorte com tudo, a procurar outra, que nem bonita, é, cheia de problemas... Meu Deus, quanto procuro por respostas, quanto procuro por saber o que de fato existe por lá, já que os discursos são totalmente diferentes. Onde é que existe divergência, ou onde eles se encontram, realmente?
É difícil e complicado para mim, porque quando nos reencontramos, após 20 anos de separação, ele falava em casamento terminado, me enchia de esperança, de planos... O tempo foi passando e fui percebendo que havia alguma coisa muito errada, pelas atitudes e comportamentos. Vi meus sonhos indo embora, planos, ainda em projetos serem jogados ao lixo. Mas em contra partida, percebi que meus sentimentos, recolhidos, a mais de 20 anos, desabrocharam, sem que eu percebesse, ou pudesse fazer alguma coisa.
Hoje eu me procuro e não me encontro, porque perdi a noção do amar e o amo mais que tudo! Assim, cedo aos carinhos, embora sabendo, que tudo não passa de momentos, mas o sentimento fala mais alto e rouba todo espaço da razão, que me condena dia e noite, por estar me infiltrando numa história que não é minha. Também não quero ser pivô de problemas de ninguém. 
Mas como negar tudo que sinto? Como decidir, se a dúvida persiste, sobre o que de fato, existe, com relação a mim? Eu tento acreditar que ele goste, para justificar minha persistência, será que gosta? Nunca me faz acreditar que sim, porém não desmente. Deixa sempre a dúvida pairar no ar. Como acreditar que nada, por lá acontece, se entre o que se fala e o que vejo é contraditório? Também como posso julgar as atitudes, se desconheço a história de fato?

Talvez


Talvez,

em algum momento

o sol volte a brilhar,

passarinhos voltem a cantar...

Talvez, tudo volte ao seu lugar...

Talvez,

a vida, ainda me sorria

trazendo de volta a esperança,

porém, jamais aquela criança,

voltará a ter alegria.

Talvez,

o jardim, ainda, floresça,

a lágrima em sorriso se faça,

o amor da dor, se refaça,

a paz se restabeleça.

Talvez,

que a voz do coração,

não tenha se perdido pelo mundo

e que tanto amor, ainda sofrido,

não se transforme em decepção.





Talvez,

ainda amargando a saudade,

ainda lhe tendo em mim

esqueça essa dor e enfim,

eu possa viver de verdade.

Talvez,

que um novo amor aconteça,

ou, quem sabe até entristeça,

por ter medo de um recomeço

e outra dor assim, enlouqueço.

Talvez,

eu ainda esteja viva,

ou, amargue uma morte em vida.

Mas, de que me serve essa vida,

se em seus braços não tiver guarida?

Talvez,

não venha mais renascer

porque de tanto sofrer,

em meio a tanta dor,

não consiga mais sobreviver.

Talvez,

de tanto que dei meus carinhos,

sem nada pedir, nada querer,

hoje, me encontre nessa angústia

tentando juntar meus pedacinhos.


Tristes descobertas


Houve um tempo em que queria pegar o sol pra iluminar seus caminhos. Trazer as estrelas para que brilhassem em sua vida. O arco iris que lhe trouxesse a alegria das cores. E aprender com a lua o encantamento, que traz a doce paixão. Tentei lhe levar o melhor de mim, mas descobri que não tenho nada a oferecer. Ou pelo menos que as pessoas queiram.
Descobri que o coração das pessoas é mais facilmente alcançado, quando somos indiferentes, quando não nos deixamos contaminar pelo amor, quando nos consideramos superiores, inatingíveis...
Descobri que quem vive de sonhos, um dia acorda com um pesadelo assustador, que é a própria realidade da vida. Com tristeza descobri que as pessoas valem, apenas, pelo que têm e podem proporcionar. Que as relações são superficiais e se limitam a troca de interesses.
E descobri com profunda tristeza, que quanto mais se quer agradar, com atenção e carinho, ser presente na vida de alguém, mais se fica distante. Que por mais que você entenda e passe por cima de todos os problemas, para ficar bem, jamais ficará, porque se tornará chata.
Apesar de tanta compreensão com o outro, certamente, ninguém a terá, no momento em que, uma simples palavra, uma boba frase for dita, ou escrita. Porque ninguém a entenderá como você quis dizer, mas como a gritante impaciência e saturação, que deixam transparecer da relação.
Porque as pessoas não estão preocupadas em ver o outro, como um todo, apenas veem aquilo que lhes interessa. Porque cada um vive apenas, em seu mundo e os outros que se adequem a ele, ou escolham outro caminho.

Mas a vida não é apenas isso. E eu quero continuar acreditando que não. Não há pergunta que não mereça resposta. Não há carinho que não deseje retorno. Nem existe amor, que não precise ser cuidado. Como para mim, não existe vida sem amor. E eu gostaria muito de continuar a sonhar; pegar o sol, trazer as estrelas, chegar no arco iris e assim, com a magia da lua, encantar você... mas infelizmente, não é bem isso que está interessado em ter.

Fim de linha

Fim de linha


Sabe amor, estive pensando e acho que está na hora de deixar de ser Alice e voltar pra mim. O tempo passou e eu na minha fantasia, não percebi. Vivi um conto de fadas e isso foi tudo que eu sempre quis. Mas chega um momento que a realidade começa a se fazer valer e me acorda do sonho quando percebo que no fundo, estou sempre sozinha. Muitas vezes penso não ser desse mundo e as pessoas têm de mim a ideia de que sou retardada. Talvez até seja, mas eu não queria ser igual as pessoas; frias, egoístas, distantes, materialistas... Porém, ser como sou, traz uma carga de dor muito grande, que não consigo mais suportar. 
Nenhum dos planos que fiz, deu certo. Tive por diversas vezes que aprender a viver, do jeito que a vida queria. Tive um casamento que eu mesma acabei por imaturidade. Um estupido aborto contra a minha vontade. Um filho rejeitado pelo pai e mais 4 de um pai ausente. Destruí meu casamento, em nome do amor e hoje vejo que de concreto nada tenho. Estou sempre só. Deito e acordo com a solidão, a tristeza, as preocupações, as angustias. Me resolvendo sozinha, ou amargando um desejo frustrado, uma ausência sua, que me sufoca. Vejo você aos poucos e com muito cuidado se afastando. Vi meus sonhos se desfazendo ao longo desses anos. ..
Nunca senti tanto a necessidade de ser igual a todo mundo. Arrancar de dentro de mim, sentimentos, que de nada valem e ninguém quer. Trocar os sonhos, pela fria realidade. Aprender a viver só. Acho que está mais que na hora de me olhar no espelho e perceber, o quanto o tempo leva da gente, inclusive a vontade de viver.

Cansaço

Cansaço


Os dias passam e com eles vão-se as esperanças. O que ontem tinha brilho e cor vai perdendo o encanto e as alegrias se transformando em tristezas, os sonhos em pesadelos e assim, uma história que poderia ser tão bonita, vai se transformando num livro arcaico, empoeirado, no qual algumas páginas foram destruídas por essa mesma força, que vem lutando contra nós.
Estou cansada. Já não tenho idade para sonhos, nem acredito mais em milagres. Não quero mais viver apenas o hoje, porque amanhã, não ficarão as doces lembranças do que poderia ser tão bonito e tão meu, mas a dor da solidão e da tristeza do que não foi adiante e de fato, nunca aconteceu.
Não quero mais essa história ao acaso, quando der, ou vier. Nem quero mais esse amor escondido entre quatro paredes. Em verdade estou sempre só. Dizer que tenho alguém é piada, porque literalmente, não tenho e quando mais preciso, não pode, é proibido.
De que valem essa saudade, esse tesão se tenho que sufocá-los dentro de mim, quando os diversos motivos nos colocam na contra-mão? Estamos seguindo em vias paralelas e os desencontros vão abrindo brechas e deixando sequelas.
Tenho ficado tão só, que em minha cabeça sobram perguntas: o que em verdade eu sou, dentro dessa relação e o que fiz da minha vida? Joguei tudo pra o alto e o que hoje tenho nas mãos?... Fui precipitada? Acreditei nas histórias fantasiosas, cedo demais? Faltam respostas... Mas não culpo ninguém, só a mim mesma, faz parte... parar pra pensar? Agora talvez seja tarde. 

E agora?

Vivi um tempo como se estivesse anestesiada e nem percebi quando começou a agonizar o que você dizia sentir por mim. O fato é que já não é mais o mesmo e de mim se afasta, ainda que não queira admitir.
É triste porque entrei de cabeça e ainda temendo um fim igual a todos, me entreguei, acreditando ser diferente e que teríamos um lugar ao sol, como acreditei ser a sua vontade, sem notar que pra você não era bem assim.
Vejo o tempo que passa, tudo fica como sempre. Nunca sobra para mim, o seu tempo. Qualquer coisa é desculpa pra não me ver, passar e-mails e nem me ligar. Sinto as desculpas se multiplicarem, enquanto eu amargo um vazio, uma sensação de mais uma derrota.
Me olho e me sinto a pior das criaturas. Percebo o fim desse caminho e que será mais uma desilusão a amargar. Vejo tudo que joguei para o alto em nome de um amor, que nem sabia o que de fato, eu representava pra você.
Sei que jamais vou poder retomar a vida do ponto em que a parti, mas queria o meu nada de antes e não me sentir tão só. Infelizmente, porque hoje, sou a sua última opção, quando nada mais resta fazer, nem lembrar.
Sinto nas palavras de saudade, que apenas são ditas, ou escritas, sem de fato terem o valor real. Ou elas não ficariam apenas restritas a distancia, quando existem meios e facilidades para diminuí-las.
E agora? Eu me olho e não sei como reencontrar meu caminho. Perdi-me dele quando o reencontrei e segui seus passos. Não sei como pode uma pessoa fazer isso com alguém, tão fragilizada, tão dolorida... Como acreditar nas pessoas novamente? Como seguir adiante, sem medo?
Hoje eu sinto que aos poucos escorre das minha mãos, o que pensei ser tão meu. Foram muitos anos de ilusão e de uma espera interminável por dias melhores, que jamais aconteceram.
Vivi um tempo como se estivesse anestesiada e nem percebi quando começou a agonizar o que você dizia sentir por mim. O fato é que já não é mais o mesmo e de mim se afasta, ainda que não queira admitir.
É triste porque entrei de cabeça e ainda temendo um fim igual a todos, me entreguei, acreditando ser diferente e que teríamos um lugar ao sol, como acreditei ser a sua vontade, sem notar que pra você não era bem assim.
Vejo o tempo que passa, tudo fica como sempre. Nunca sobra para mim, o seu tempo. Qualquer coisa é desculpa pra não me ver, passar e-mails e nem me ligar. Sinto as desculpas se multiplicarem, enquanto eu amargo um vazio, uma sensação de mais uma derrota.
Me olho e me sinto a pior das criaturas. Percebo o fim desse caminho e que será mais uma desilusão a amargar. Vejo tudo que joguei para o alto em nome de um amor, que nem sabia o que de fato, eu representava pra você.
Sei que jamais vou poder retomar a vida do ponto em que a parti, mas queria o meu nada de antes e não me sentir tão só. Infelizmente, porque hoje, sou a sua última opção, quando nada mais resta fazer, nem lembrar.
Sinto nas palavras de saudade, que apenas são ditas, ou escritas, sem de fato terem o valor real. Ou elas não ficariam apenas restritas a distancia, quando existem meios e facilidades para diminuí-las.
E agora? Eu me olho e não sei como reencontrar meu caminho. Perdi-me dele quando o reencontrei e segui seus passos. Não sei como pode uma pessoa fazer isso com alguém, tão fragilizada, tão dolorida... Como acreditar nas pessoas novamente? Como seguir adiante, sem medo, sem essa dor?

Desabafo

Pessoas existem que se acham aptos para julgar e condenar as outras. Que costumam imputar aos demais, sentimentos que no fundo possuem. 

Muitas vezes aquilo que apontam, no fundo, apenas acoberta as suas próprias falhas, ou é uma maneira de legislar em causa própria. Utilizando a velha tática do ataque ser a melhor defesa. 

Creio ser leviano se afirmar qualquer coisa por outrem, sobre quaisquer aspectos, quando desconhecemos de fato, o que se passa dentro de cada pessoa, ou se desconhece suas razões. 

Para cada ser na face da terra, existe algo que o faz feliz. Para muitos, felicidade é possuir bens financeiros, para outros, a felicidade consiste em ter um lar, uma família, carinho, amor e companhia. 

Quanto a plenitude, essa fugaz, que se resume a alguns minutos esporádicos, é relevante, sim. Mas nada que as seguidas noites de solidão e o constante caminhar vazio da individualidade, não ofusquem o seu brilho. 

Jamais se pode garantir pelos outros, que suas ações se resumem ao que se imagina, pois poderão cair no erro gravíssimo do pré julgamento, ou incorrer no pecado e crime de falso testemunho. 

Jamais um solo fértil, ou a água em abundância, conseguirão manter o equilíbrio ecológico, se não forem tratados devidamente. Assim também o amor, não resistirá a tantas acusações e incompreensões. Nenhuma produção terá qualidade, se o jardineiro misturar as sementes, ou deixar o terreno sem adubo, entregue as ervas daninhas, porque precisa  cuidar melhor, do que está sob sua "responsabilidade". Pois, desse mesmo cuidado e atenção, dependem o outro, e o amor.

Creio ser errado, (embora não seja dona da verdade), o jardineiro que insatisfeito com o resultado da sua colheita, busque em outro produto, um resultado final diferente, sem antes ter deixado o terreno limpo e adubado. Fatalmente esse terá inúmeros problemas. 

De fato, nessa questão, melhor seria, que o jardineiro insatisfeito, antes de reclamar, ou de buscar novos insumos, estudasse o solo a sua volta, as suas reais condições e objetivos, e  todas as possibilidades, porque da segurança do que de fato quer e espera, dependem os resultados das novas aquisições. 

Nada mais sensato que reutilizar palavras,  para fazer com que as pessoas reflitam sobre seus pensamentos e atitudes. E, nesse sentido, vale a pena a citação abaixo: 

“O homem sensato valoriza o que possui. E, longe de lançar os olhos para as posses do vizinho, os lança para o seu próprio passado e em seu coração agradece por suas conquistas.” 


Se as pessoas atentassem para essa afirmativa acima, certamente, os motivos geradores dessa parábola, não existiriam. Porque viveriam sem a duvida que permeia entre, a sua verdade e uma ilusão passada de forma enganosa para obter uma lucratividade maior. Dessa forma, a citação acima não faria sentido, nem geraria insatisfação de um, nem a tristeza do outro. Tampouco teria desencadeado tantos problemas com o jardim do vizinho. Porque olhariam mais para suas próprias aquisições e sem conflitos nem aborrecimentos, agradeceriam a Deus todos os dias.

Sim, muitas vezes desejamos demais, algo que não está a nosso alcance, porque são sonhos guardados e a imagem gravada pelos sentimentos de paixão, amor e saudade, esquece que o tempo muda pessoas e suas formas de ser e agir. 

Dizer o que estamos sentindo, o que nos deixa tristes, jamais será menosprezar e/ou, invejar e sim, tentar entender e precisar de respostas a questões que fogem ao entendimento. Coisas importantes para sabermos, o que de fato somos, no meio de um contexto conflitivo. 

Cuidar da própria vida seria talvez, o melhor a se fazer, porque assim, cada pessoa tomaria as rédeas do controle das suas. Mas, felizmente, pra uns, o amor não é egoísta. Ele vê, ouve, fala e sonha por dois, ou não seria de fato amor. 

Fácil é acusar, se arvorar de uma verdade pessoal e falar como se ela fosse absoluta. Decerto o jardineiro não inveja o jardim do vizinho, até porque cada um planta o que gosta e nenhum jardim é tão farto de simples, mas belas flores, quanto o seu próprio coração.

Por outro lado, se o outro jardim fosse belo, tão produtivo e tão bem cuidado, jamais o jardineiro, admiraria  outro, a ponto de querer que também lhe pertencesse. E a logica, por esse aspecto, afasta qualquer ideia de inveja.

Nenhum paisagista, arquiteto ou urbanista, seriam capazes de desenhar jardins tão belos, quanto aos mais simples, feitos com alma e cheios de emoção. O que afasta também, toda e qualquer possibilidade de um agricultor emocional, invejar um jardim sem o encanto do amor e do desejo.

A perfeição é deste mundo sim, traçada por Deus. A natureza é perfeita, o homem é perfeito, os animais também. O próprio homem é quem desfaz essa imagem semelhança de Deus, com seus egoísmos e ganâncias. 

Lamentar o que falta, até creio, mas no campo emocional, pois é ele quem dita os reclames da solidão e carência, de um ser puramente emocional. Aquele que vê lamento e inveja, na saudade e na falta de entendimento de certos acontecimentos, após tantos anos, de fato, desconhece essa alma. Desconhece o que é importante ao ser que tem desprendimento material e sente, que de certa forma, foi iludida ao entrar numa história, enganada com uma situação que nunca existiu.

Minha estrela

Minha estrela

Vai chegar o dia
em que tu vais olhar para o céu
e descobrir,
que a minha estrela 
parou de brilhar...
E só então vais entender,
que perdeste muito tempo
olhando para o chão
deixando de ver,
o encanto do luar...

Uma pequena parte de mim
ficará contigo; porém,
uma enorme parte de ti
seguirá comigo.
Porque tu, és o todo
de um coração que sempre, 
gritará: saudade!...
e a outra parte de mim,
te levará pela eternidade.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Preciso do endereço, porque quero mudar


Preciso do endereço, porque quero mudar

Existe um país numa determinada propaganda
onde tudo anda em perfeita harmonia!
Sempre há uma festa todos os dias...
nada por lá, acaba em pizza, samba e carnaval;
e o seu povo vive, eternamente, em alto astral.
Lá tem hospitais dignos, atendimento humano
e polícia bem preparada, estilo americano.
O povo é elegante, fino, educado e culto.
Nesse país, o saber é inusitado é geral!
Se vive a intensidade da vida com o real.
Segurança? As vezes me pergunto pra que?
Se não existe, nem se sabe o que é marginal?
Pode-se andar, sem medo, sem susto.
Não se ouve falar em doenças, mosquitos,
a saúde é uma beleza! Hospitais pra todo lado
e dizem que parecem verdadeiros hotéis;
humanizados e serviços personalizados.
Servem lanches aos doentes, pãezinhos e pastéis.
Lá não se ouve falar em malandragem;
a política é séria! Nem se fala em bandidagem.
Roubalheira? É uma palavra desconhecida;
os políticos são pessoas honestas, esclarecidas.
Tudo nesse governo é limpo e transparente!
Não existem mensaleiros, nem dinheiro na cueca;
todos são idôneos, simples, apesar da beca.
O dinheiro público é empregado com lisura,
o bem comum, valorizado e tratado com mesura.
A maior empresa estatal de lá, é sagrada!
Tratada com muito afinco e honestidade
e os administradores, são exemplos de integridade.
As escolas desse lugar são de primeiro mundo!
Totalmente aparelhadas, ensino fecundo.
Quem sabe o que é escola particular?
Não existe, nem precisa, o ensino é eficaz!
Excluindo assim as cotas, em todo lugar.
Os professores são bem remunerados e preparados.
Valoriza-se o ensino, o saber, com responsabilidade.
Tem emprego pra todos, no campo ou na cidade,
tem emprego até pra o pessoal de mais idade.
Faz gosto, se viver nesse lugar!
Vi tanta propaganda, que arrumei a bagagem,
fiz as malas, organizei a mudança;
Porque é nesse País tão propagado, que quero morar.